Ficar parado por um tempão é um dos motivos por trás da formação de trombas nas veias das pernas.

Veja como escapar desse problema e de suas graves consequências.

Você provavelmente já ouviu falar em trombose, quadro que ficou bastante associado ao uso de anticoncepcionais. Hora de saber que as usuárias desses itens não são as únicas que podem ficar na mira do perrengue, caracterizado pela formação de coágulos, os trombos, dentro de uma veia geralmente na perna.

Um estudo recente das universidades de Minnesota, Vermont e da Carolina Do Norte, todas nos Estados Unidos, mostra que o sofá é outro grande patrocinador de tromboses. Segundo os pesquisadores, passar muito tempo na frente da televisão aumenta pra valer o perigo de um congestionamento nas veias.

Os cientistas analisaram episódios do problema entre aproximadamente 15 mil pessoas, bem como as respostas fornecidas em um questionário que, entre outras coisas, perguntava sobre a assiduidade com que elas assistiam a televisão. O resultado apontou que, em comparação com quem quase nunca ficava diante a tela, os viciados no aparelho apresentavam uma probabilidade 71% maior de encarar uma obstrução nas veias.

A pesquisa não deixa espaço para dúvidas: movimentar o corpo faz parte da receita para evitar que o enredo se torne trágico. “Quando ficamos parados tempo demais e na mesma posição, a contração da panturrilha não acontece. E ela é a principal responsável por bombear o sangue em direção ao coração”, explica o cirurgião vascular Sergio Betczak, da rede de hospitais São Camilo na capital paulista. Sem a movimentação desse músculo, a velocidade do fluxo sanguíneo diminui e isso favorece a formação dos coágulos”, complementa o cirurgião vascular Luiz Augusto Vasconcelos, do conselho regional de medicina do estado da Bahia.

Para a panturrilha e o sangue sair da inércia, nada melhor que andar, “É importante evitar passar mais de duas horas sentado. A recomendação é fazer pequenas caminhadas sempre que possível”, orienta o cardiologista Luiz Francisco Cardoso, superintendente de práticas assistenciais e pacientes internados do hospital Sírio Libanês em São Paulo. O recado é valido não só para os aficionados por novelas, séries e afins mas também para quem permanece muito tempo grudado na cadeira do escritório ou faz viagens longas de carro ou avião.