Quando se procurar um angiologista?

Quando se preocupar?
Saiba que sinais as varizes apresentam e a partir de que momento é necessário buscar ajuda. Antes de manifestar-se visualmente, com grandes manchas tortuosas e azuladas, o problema pode dar alguns indícios de que está presente. Dores e incômodos nos membros inferiores costumam alertar que algo não está certo. Até mesmo o clima pode influenciar no surgimento desses desconfortos!

 
Indícios
As varizes podem causar dor no fim do dia, já que o paciente ficou muito tempo em pé. Geralmente, não é um incômodo muito forte e o indivíduo sente como se fosse um peso na perna. Também podem causar inchaço cãibras e formigamento.
 
Influência do clima 
Segundo dados da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV), devido as altas temperaturas e a exposição solar, brasileiros são mais propensos a apresentar o problema. Estima-se que 35% da população seja atingida, sendo que 70% são mulheres e 30% homens, considerando apenas a faixa etária adulta. É justamente na época mais quente do ano que a procura por ajuda médica e relatos de dores nas pernas aumentam consideravelmente. Isso acontece pois, o calor promove uma vasodilatação, fazendo com que as veias, por terem aumentado de tamanho, não consigam conduzir o sangue dos membros inferiores ao coração corretamente.
 

E quando o problema é invisível?
Muitas vezes o diagnóstico das varizes é simples, pois é possível ver a olho nu a aparição das veias saltadas. No entanto, existem casos em que detectar o problema, pode ser um pouco mais complicado. “Quando  temos as chamadas varizes internas, que são varizes de veia safenas ou o mau funcionamento de veias profundas, o diagnóstico é realizado por meio do mapeamento com ultrassonografia associada ao duplex doppler colorido ( técnica de ultrassonografia com imagens coloridas que indica com cores diferentes o fluxo sanguíneo de veias e artérias)”. Portanto, atentar-se aos sintomas é essencial para buscar um angiologista (médico especializado em vasos sanguíneos) e realizar o exame.

Fique de olho nas complicações.

A falta de tratamento das varizes pode ocasionar outros problemas indesejados
Além da questão estética, o agravamento das varizes por falta de um tratamento adequado pode acabar gerando algumas complicações. Em casos mais graves e avançados, as alterações na espessura das veias tendem a causar manchas bem características do problema e até mesmo, feridas na perna. Ou seja, é fundamental que as varizes sejam tratadas da maneira indicada pelo médico, preservando, assim, a qualidade de vida do paciente.
A maioria dos casos não evolui para nada grave, especialmente quando se adotam medida preventivas. Mas, em algumas situações, os sintomas costumavam ser mais severos, podem ocorrer sangramentos e outros problemas como:

Úlceras venosas: decorrem da insuficiência venosa crônica e são feridas abertas, difíceis de curar, que causam dor. Requerem cuidados especializados, após tratamento, eles devem ser mantidos com acompanhamento permanente para evitar o retorno.

Trombo flebite superficial: “É a inflamação da veia pela formação de um coágulo dentro dela.” Esses coágulos são chamados de trombos e entopem as veias, dificultando a passagem do sangue. Pode gerar embolia pulmonar caso um coágulo se desprenda e chegue ao pulmão, causando dores no peito, tosse cansaço, falta de ar e, em casos mais graves, morte súbita.
Para eliminar as varizes, a solução mais procurada é a cirurgia de extração dos coágulos e dos vasos danificados. Hoje em dia, no entanto, é possível realizar procedimentos menos invasivos e de recuperação mais simples.

colocando um fim ao problema.

Conheça diferentes procedimentos que podem ser adotados para acabar com as varizes 

Cirurgia tradicional: o procedimento é bem simples, de rápida recuperação e requer pouco tempo de internação hospitalar. O processo consiste em retirar as veias comprometidas para que parem de prejudicar a circulação.

Escleroterapia a laser: é introduzida uma microfibra ótica com espessura similar a de um fio de nylon na veia comprometida, que é destruída pelo laser. A recuperação costuma ser bastante rápida, permitindo que o paciente tenha alta no mesmo dia e volte as atividades cotidianas normalmente em 24 horas. É possível, ainda, que a pessoa realize exercícios mais pesados dentro de apenas uma semana.

Escleroterapia com microespuma: é feita a injeção de substâncias químicas que podem estar em forma líquida ou de uma espuma densa dentro da veia afetada, que vão expelir o sangue para as veias saudáveis, melhorando o fluxo sanguíneo. “É o método menos invasivo, pois não necessita de internação ou anestesia, e é realizado no próprio consultório, sem necessidade de nenhum repouso, independente de quantidade e/ou calibre das varizes a serem tratadas.”

Prevenir é melhor que remediar!
Algumas práticas diárias afastam o risco de surgimento das varizes quando elas já estão instaladas, evitam que o problema aumente.
Mesmo quando o tratamento para varizes (medicamentos ou cirúrgico) seja simples, o melhor é fazer com que o problema não apareça ou evolua. Por isso, é essencial ficar atento a alguns hábitos que favorecem a qualidade de vida e mantém a circulação sanguínea em dia.

1. Saúde a mesa
A inclusão de frutas, verduras e legumes fornecem nutrientes que contribuem para o fortalecimento das paredes dos vasos sanguíneos, evitando possíveis dilatações e rompimentos.

2. De pernas para o ar 
O retorno do sangue para o coração é dificultado pela distância que deve ser percorrida das pernas até o órgão. Tirar uns minutos para erguê-las contribui para facilitar o fluxo sanguíneo, pois este correrá com ajuda da gravidade.

“Os exercícios além de fortalecerem a musculatura da região dos membros inferiores, também ajudam na saúde circulatória, digestiva e imunológica.”

3. Em movimento
Fazer alongamentos diariamente e realizar exercícios simples, como caminhada, também é essencial para manter a circulação ativa. Além de tudo, essas práticas evitam as dores e o cansaço dos membros.

4. Conforto em primeiro lugar
Algumas roupas podem acabar prejudicando o sistema circulatório, como meias, calças e sapatos muito apertados. Prefira peças mais confortáveis e leves, pois isso evitará que alguma parte de do seu corpo fique comprimida e acabe tendo problemas na circulação. O mesmo vale para saltos altos. Devido ao seu formato, eles dificultam a circulação sanguínea na panturrilha, colaborando para que o sangue fique acumulado na região.

5. No peso ideal
Estar dentro do peso considerado normal é essencial, pois a obesidade é um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de complicações no sistema circulatório, de doenças cardíacas e outros problemas de saúde, como a hipertensão e o colesterol alto. Para ter essa informação, consulte um nutricionista.